Central de Abastecimento Farmacêutico Municipal: Uma dentre as várias funções da profissão farmacêutica

O farmacêutico é o profissional de saúde mais próximo da população, ele tem o importante papel de orientar o cidadão sobre questões relacionadas à saúde, incluindo os sintomas, fatores de risco e prevenção de doenças, com um conjunto de ações voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde.

Contudo, a função do farmacêutico vai além de apenas entregar os medicamentos, de orientar o paciente sobre o uso correto dos medicamentos. Os farmacêuticos prestam outros serviços diretamente à população como a verificação da pressão arterial, aferição de taxas de glicose e de colesterol. Além disso, eles orientam os portadores de doenças, como diabetes, hipertensão arterial.

Esses serviços são prestados sem burocracia, sem fila e sem agendamento. Sendo assim, mostram o quanto o papel do farmacêutico é indispensável na sociedade, agilizando e facilitando vários procedimentos.

Dentre as várias funções desenvolvidas, a responsabilidade técnica e/ou gerência na Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF), é de fundamental importância no setor público.

A CAF é o local onde se desenvolvem atividades voltadas para a logística de medicamentos, respeitando as regras básicas de estocagem, manuseio, guarda e empilhamento máximo. Medicamentos são distribuídos da CAF para os hospitais municipais, UPAs, UTI, UBSs, enfim, todas as unidades de saúde do município.

A importância da CAF para um município está diretamente ligada à organização dessa unidade. Ou seja, a distribuição ou remanejamento dos fármacos que, por diminuição de consumo ou mudanças de protocolo, corram o risco de perder a validade, a conferência da entrega de remessas adquiridas por compra ou troca, o controle de lotes para organização adequada nas prateleiras e a confecção e organização de documentação para registro de entrada, saída, estorno e perdas de medicamentos, sempre de acordo com as características físico químicas das composições, em relação à temperatura e umidade, às orientações do fabricante e às determinações regulamentares.  Desta forma, se verifica o giro dos estoques, o consumo médio dos medicamentos padronizados e os estoques mínimos.

Portanto, a organização dos almoxarifados deve ser orientada de modo a cumprir três objetivos principais. Sendo eles: Garantir a correta recepção, conservação e distribuição, dentro de padrões e normas técnicas específicas, manter condições ambientais adequadas para assegurar o rendimento, a produtividade do trabalho, minimizar o risco de erros, possibilitar limpeza, manutenção, dispor de meios materiais e humanos para conseguir os dois objetivos anteriores.

Para alcançar os objetivos, é necessário que o município propicie local de condições adequadas com espaço próprio para oferecer boas condições de armazenamento dentro da logística de atendimento de medicamentos às unidades de saúde, garantindo assim segurança e credibilidade nos serviços prestados.

Frente ao exposto, podemos observar a importância da CAF e de um profissional qualificado, com administração e profissionalismo farmacêutico, dentro dessa unidade evitando perdas, gerando economia ao setor público e promovendo o reconhecimento do profissional farmacêutico.

 *Valeria Gardiano é farmacêutica-bioquímica, pós-graduada em Saúde da Família, especialista em Farmácia Estética, mestranda em Imunologia e Parasitologia e coordenadora de Assistência Farmacêutica no município de Barra do Garças.

 

Foto: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *