Delação à vista abre caminho do Centro de Custódia para os conselheiros afastados do TCE-MT

Da Redação.

José Carlos Novelli, Waldir Júlio Teis, Walter Albano da Silva, Elizabete Queiroz, Jandir Millan, Jacimauro Bento do Carmo e Olavo Lage podem ter ligação direta, com mais um esquema milionário de desvio de recursos do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso.

“Mais uma vez, aparece a empresa Travessia prestando serviços com valores milionários para o TCE-MT, no período de presidência do o conselheiro afastado, Walter Albano da Silva”.

Devido as denúncias realizadas pelos jornalistas Laerte Lannes, Pedro Ribeiro e Claudio Natal relatando as atividades que caracterizam atos de corrupção, que foram protocoladas em uma verdadeira peregrinação no Ministério Público Federal, Ministério Público do Estado de Mato Grosso e Polícia Federal, desencadeou em uma sequência de operações da polícia, quando fizeram uma verdadeira varredura na vida pregressa dos conselheiros afastados e seus comparsas.

“Durante esta semana, o ministro Raul Araújo determinou a quebra do sigilo fiscal, bancário e telefônico dos conselheiros afastados, com também de mais de 30 pessoas e mais de 30 empresas”.

Como o cerco está fechando, o verdadeiro ditado popular de que, “quem pode mais chora menos”, está acontecendo, já que aqueles supostamente envolvidos estão esperneando, porque sabem que a “corda sempre arrebenta do lado mais fraco”, que neste caso, fica por conta de Jocimauro Bento Carmo e Olavo Lage.

“De acordo com os relatórios dos processos de fiscalização, só neste caso, o desvio de recursos públicos foram cerca de R$ 5 milhões”.

Desses nomes envolvidos, José Carlos Novelli, Waldir Júlio Teis, Walter Albano da Silva, Elizabete Queiroz, Jandir Millan, Jacimauro Bento do Carmo e Olavo Lage, o Ministério Público Federal, juntamente com a Polícia Federal, já estão cuidando dos casos dos cinco conselheiros afastado, que menos dias, ou mais dia, terão que se apresentar na Justiça.

“O Ministério Público do Estado de Mato Grosso ainda vai mostrar a sua força para o empresário Jandir Millan”.

Resta saber como vão ficar os casos do empresário Jandir Millan que tem seu nome envolvido em supostos esquemas de corrupção, desde a época do já falecido governador Dante Martins de Oliveira, isso mostra que seus tramites são extremamente fortes.

“O nome do empresário Jandir Millan é apontado em atividades caracterizadas como corruptas, em várias licitações dentro e fora do TCE-MT, no período que os cinco conselheiros afastados se revezavam na presidência da instituição”.

Com a última operação da Polícia Federal, que realizou buscas na semana passada, em alguns estabelecimentos supostamente ligados a três conselheiros afastados, os menos favorecidos estão preocupados com as suas situações.

Não estão aguentando a pressão.

Segundo informações de bastidores, uma delação premiada já estava sendo colocada como opção, para que Jocimauro Bento Carmo e Olavo Lage evitassem de degustar da quentinha do Centro de Custódia da Capital. Neste caso, os dois estariam dispostos a relatar e apresentar provas de como o esquema de desvio de recursos públicos acontecia dentro do TCE-MT.

Patrimônios ocultos: Novos indícios do crime em família.

Investigações realizadas pelos jornalistas Laerte Lannes, Pedro Ribeiro e Claudio Natal encontraram novos indícios que comprovam atos de corrupção, com enriquecimento ilícito, por parte do conselheiro afastado Antônio Joaquim, através de compra de milhares de hectares de terra, fazendas no município de Novam Mutum, neste caso, as propriedades estaria em nome do seu gero, Rafael Cotrim, o que recebeu a visita da Polícia Civil, por suposto envolvimento de desvio de recursos da Secretaria Municipal de Educação de Cuiabá.

Foto: Ilustração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *