Dia dos Pais: Capotamento deixa 4 mortos e 3 feridos na estrada de Chapada dos Guimarães

Da redação

A primeira semana de Agosto de 2020, foi marcada com vários acidentes de trânsito, entre eles, pelo menos quatro acidentes fatais foram registrados, entre os dias 04 e 09 de Agosto. E neste domingo(09), Dia dos Pais, mais um acidente grave foi registrado, na rodovia MT-251, em Chapada dos Guimarães. Dentro do veículo haviam 7 pessoas, 4 morreram e 3 ficaram gravemente feridas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, sete jovens estavam em um veículo Corolla, voltando de um penhasco onde foram ver o nascer do sol. O veículo teria capotado e arremessado os três sobreviventes, e os outros quatro morreram no local presos às ferragens.

No carro foram encontradas garrafas de bebidas alcoólicas e energéticos. A Polícia Judiciária Civil acredita na possibilidade de negligência e alta velocidade. 

Um levantamento realizado pela Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), que atende ocorrências nas duas maiores cidades do estado, divulgou uma comparação entre os meses de março e julho deste ano com o mesmo período de 2019, onde houve um aumento de 63% no número de mortes no transito, registradas em Cuiabá e em Várzea Grande.

O início deste mês não difere muito das estatísticas anteriores. Em apenas um dia, da primeira semana de Agosto, a Deletran registrou cinco mortes decorrentes de acidentes no trânsito. O primeiro acidente grave registado na semana, foi na MT 010, estrada da Guia, onde três pessoas morreram na colisão entre um veículo de passeio e um caminhão. Entre as vítimas, uma adolescente grávida, uma mulher e um homem.

No mesmo dia, o entregador de um restaurante, também perdeu sua vida, após uma motorista entrar na contra mão em uma alça de retorno, na avenida das Torres. 

De acordo com o ONSV (OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária) 90% dos acidentes ocorrem por falhas humanas – que podem envolver desde a desatenção dos condutores até o desrespeito à legislação. Os exemplos são claros, excesso de velocidade, uso do celular, falta de equipamentos de segurança como o cinto de segurança ou capacete, o uso de bebidas alcoólicas antes de dirigir ou até mesmo dirigir cansado.

A entidade destaca, ainda, que os acidentes não ocorrem por acaso, por mais que a palavra queira traduzir e os condutores se eximirem da responsabilidade. “Mortes por acidentes são consideradas pela Organização Mundial de Saúde como mortes evitáveis”, lembra o OBSERVATÓRIO.