Lucas do Rio Verde e Educação – Semente plantada da resultados, traz reconhecimento e vira exemplo para o país

A rede de ensino do Município de Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso, foi reconhecida pelo estudo “Educação que Faz a Diferença”, elaborado pelo Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB) em conjunto com o Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede) e os 28 Tribunais de Contas do País com jurisdição na esfera municipal.

A pesquisa foi lançada na quinta-feira (25) e revela as práticas mais comuns adotadas pelas redes com bons resultados.

Na gestão de Otaviano Pivetta, na cidade modelo em MT, o prefeito à época colocou como sua maior prioridade a educação, buscando ações pontuais, logística e eficiência que atenderiam o conjunto completo da sociedade educacional do município e toda a sua cadeia de entornos.

Com olhos voltados a interação de mestres, pais e alunos, a direção da secretaria municipal de educação desenhou um modelo que beneficiasse de forma ampla o seguimento que sempre foi encarado pelo gestor com um caminho para o desenvolvimento da região…A educação forma técnicos, abre horizontes e constroe lideres, que serám sempre prioridade em Lucas, defendia Pivetta.

Reformas de antigas e ineficientes escolas entraram na mira e construção de modernas e confortáveis novos centros de educação foram concebidos, observando sempre a economicidade, funcionalidade e o espirito de que as escolas fossem uma extensão das casas dos alunos sempre com portas abertas aos pais e ao esporte, lazer e cultura, aplicados com muito empenho e total dedicação.

Professores valorizados, reciclagem e informatização eram peças de construção do modelo sonhado por Pivetta e colocado em pratica com seu acompanhamento constante e pessoal… Diretores e pais de alunos sempre foram abordados, consultados e suas ideias e sugestões, reverberadas para melhoria do ensino e da convivência das escolas.

No decorrer da implantação do novo modelo de gestão educacional implantado em Lucas foram identificadas as seguintes práticas associadas a bons resultados no Ensino Fundamental:

1. Utilização de sistemas de gestão e de acompanhamento dos estudantes;

2. Suporte constante por parte das Secretaria de Educação, com visitas frequentes às escolas;

3. Monitoramento contínuo da aprendizagem dos alunos;

4. Investimento na gestão escolar, com incentivo ao protagonismo das escolas;

5. Oferta constante e diversificada de formação continuada aos educadores;

6. Cultura de observação de aulas, com avaliações individuais e construtivas.

7. O investimento maciço em esportes, lazer e cultura com a construção de quadras e minicentros esportivos nas unidades.

8. A interação ampla e exigência de acompanhamento de pais de alunos, transformando lares em extensão de escolas.

9. O planejamento atento as mudanças pedagógicas e a inserção de regionalidades cotidianas nas grades escolares.

10. O respeito e a participação de todos nos cuidados de manutenção e preservação do patrimônio e instalações das escolas.

O reconhecimento Nacional, com acompanhamento de Gestores de TRIBUNAIS DE CONTAS, agentes pedagógicos, profissionais de educação e contribuintes, selam a premissa sonhada por Pivetta de que a educação seria o suporte do desenvolvimento nacional, desde que levada à risca da seriedade, contingenciassem recursos para melhor aproveitamento e transformasse o discurso político de valorização de professores em uma realidade verdadeira.

Lucas do Rio Verde, cidade moderna, exemplo de mobilidade em franco desenvolvimento, incrustrada no norte de Mato Grosso, orgulhasse duplamente agora: A de ser uma cidade que avança a passos largos na produtividade e tecnologia do Agronegócio e agora, um exemplo Nacional de educação que é possível, dá certo e traz resultados para o futuro.

Halisson Lasmar é jornalista e Publicitário.