“Quem espera sapato de defunto, morre descalço”: Fabinho não acredita na cassação do mandato de Lucimar

Da Redação

O vereador e presidente da Câmara Municipal de Várzea Grande, Fábio Tardin (DEM) ao se referir na cassação do mandato da prefeita Lucimar Campos, descartou a possibilidade.

“Quem espera sapato de defunto, morre descalço”.

O julgamento que foi marcado para o dia 12 junho, o Tribunal Superior Eleitoral publicou nesta sexta-feira, 05.06.2020, a nova data, o que pode mudar totalmente o cenário da política na “Cidade Industrial”.

Caso a justiça afaste a prefeita Lucimar Campos, juntamente com o vice José Hazama, a Prefeitura passará a ser comandada pelo vereador e presidente da Câmara Municipal, Fabinho Tardin.

Para Fabinho, as hipóteses de cassação do mandato da prefeita Lucimar são muito pequenas, sem falar nos benefícios que sua gestão proporcionou na cidade, que deverá influenciar na decisão.

“Eu estou trabalhando para ser candidato do DEM, para ser um prefeito eleito legitimamente pelo voto do povo”, ressaltou Tardin.

O vereador ainda falou sobre os nomes que o grupo tem para disputar a eleição, como vários pretendentes deixaram a corrida eleitoral, entre eles o vice-prefeito José Hazama, o secretário de educação Silvio Fidelis e o secretário do obras Luiz Soares, a disputa ficou entre o vereador Fabinho e o ex-presidente da sigla Júlio Pacheco.

“O nome do candidato do grupo será definido através de pesquisa e convenção, respeito muito Júlio Pacheco, se for definido o nome dele, terá todo meu apoio, estamos prontos para trabalhar a candidatura”, declarou Fabinho.

Nos últimos dias, o cenário da política em Várzea Grande já mudou e muito, as definições estão se aproximando, porém, a decisão da Justiça poderá mudar ainda mais os rumos da eleição municipal.